logo easyjur azul

Blog

6 (2)

Art 261 cpc: Comentários detalhados do Artigo 260 até o 268 Novo CPC

Picture of Por Danielle Fontoura

Por Danielle Fontoura

Menu do Conteúdo

Arte 261 cpc

Pode-se dizer que diversos artigos do Novo CPC começaram a ganhar uma maior atenção e popularidade na atualidade, como por exemplo, o art 261 cpc, o qual se refere diretamente as cartas de ordem, precatórias e rogatórias, determinando e regulamentando os seus requisitos, funcionamento e demais características.

Vale dizer que, na grande maioria das vezes, os artigos que ganharam maior popularidade apresentaram algumas mudanças e modificações com o Novo CPC, ou até mesmo foram criados e desenvolvidos pelo mesmo. Mesmo se passando quase 8 anos desde que o Novo CPC entrou em vigor, grande parte das suas modificações ainda geram dúvidas e questionamentos, algo que pode ser comprovado quando observamos a grande quantidade de pesquisas referentes ao art 261 cpc.

Tendo isso em mente, nós da equipe EasyJur resolvemos realizar um artigo com comentários detalhados referentes aos artigos 260 até o 268, algo que você poderá observar logo abaixo, portanto, busque se atentar ao máximo no mesmo para conseguir compreender as principais características e regulamentações das cartas de ordem, precatórias e rogatórias.

Comentários art 260

Bom, logo de cara podemos observar que o artigo 260 busca tratar de todos os requisitos referentes às cartas de ordem, precatória e rogatória, os quais devem fazer parte dos seus conhecimentos gerais.

“Art. 260. São requisitos das cartas de ordem, precatória e rogatória:

I – a indicação dos juízes de origem e de cumprimento do ato;

II – o inteiro teor da petição, do despacho judicial e do instrumento do mandato conferido ao advogado;

III – a menção do ato processual que lhe constitui o objeto;

IV – o encerramento com a assinatura do juiz.

  • 1º O juiz mandará trasladar para a carta quaisquer outras peças, bem como instruí-la com mapa, desenho ou gráfico, sempre que esses documentos devam ser examinados, na diligência, pelas partes, pelos peritos ou pelas testemunhas.
  • 2º Quando o objeto da carta for exame pericial sobre documento, este será remetido em original, ficando nos autos reprodução fotográfica.
  • 3º A carta arbitral atenderá, no que couber, aos requisitos a que se refere o caput e será instruída com a convenção de arbitragem e com as provas da nomeação do árbitro e de sua aceitação da função.”

Comentários art 261

Quando partimos para o art 261 cpc, notamos que o mesmo se refere aos prazos para o cumprimento das cartas citadas mais acima, regularizando o prazo para a intimação do juiz, a expedição da carta e por aí vai.

“Art. 261. Em todas as cartas o juiz fixará o prazo para cumprimento, atendendo à facilidade das comunicações e à natureza da diligência.

  • 1º As partes deverão ser intimadas pelo juiz do ato de expedição da carta.
  • 2º Expedida a carta, as partes acompanharão o cumprimento da diligência perante o juízo destinatário, ao qual compete a prática dos atos de comunicação.
  • 3º A parte a quem interessar o cumprimento da diligência cooperará para que o prazo a que se refere o caput seja cumprido.”

Comentários art 262

Após o art 261 cpc, chegamos ao artigo 262, o qual busca regulamentar completamente o encaminhamento da carta para outros juízes.

“Art. 262. A carta tem caráter itinerante, podendo, antes ou depois de lhe ser ordenado o cumprimento, ser encaminhada a juízo diverso do que dela consta, a fim de se praticar o ato.

Parágrafo único. O encaminhamento da carta a outro juízo será imediatamente comunicado ao órgão expedidor, que intimará as partes.”

Art 261 cpc:
Art 261 cpc:

Comentários art 263

Já no artigo 263 podemos observar a regulamentação de como as cartas deverão ser expedidas, dando uma maior prioridade para o meio eletrônico.

“Art. 263. As cartas deverão, preferencialmente, ser expedidas por meio eletrônico, caso em que a assinatura do juiz deverá ser eletrônica, na forma da lei.”

Comentários art 264

Diferentemente das cartas de ordem e precatórias mais tradicionais, aquelas que forem expedidas por meio eletrônico deverão estar a par dos requisitos presentes no artigo 250.

“Art. 264. A carta de ordem e a carta precatória por meio eletrônico, por telefone ou por telegrama conterão, em resumo substancial, os requisitos mencionados no art. 250 , especialmente no que se refere à aferição da autenticidade.”

Comentários art 265

No artigo 265 podemos notar que a carta de ordem ou a carta precatória deverá ser transmitida por telefone quando houver um ato a ser cumprido, o qual apresenta o intermédio do escrivão do primeiro ofício da primeira vara.

“Art. 265. O secretário do tribunal, o escrivão ou o chefe de secretaria do juízo deprecante transmitirá, por telefone, a carta de ordem ou a carta precatória ao juízo em que houver de se cumprir o ato, por intermédio do escrivão do primeiro ofício da primeira vara, se houver na comarca mais de um ofício ou de uma vara, observando-se, quanto aos requisitos, o disposto no art. 264 .

  • 1º O escrivão ou o chefe de secretaria, no mesmo dia ou no dia útil imediato, telefonará ou enviará mensagem eletrônica ao secretário do tribunal, ao escrivão ou ao chefe de secretaria do juízo deprecante, lendo-lhe os termos da carta e solicitando-lhe que os confirme.
  • 2º Sendo confirmada, o escrivão ou o chefe de secretaria submeterá a carta a despacho.”

Comentários art 266

“Art. 266. Serão praticados de ofício os atos requisitados por meio eletrônico e de telegrama, devendo a parte depositar, contudo, na secretaria do tribunal ou no cartório do juízo deprecante, a importância correspondente às despesas que serão feitas no juízo em que houver de praticar-se o ato.”

Comentários art 267

Já no artigo 267, podemos notar a regulamentação de quais situações o juiz deverá recusar o cumprimento da carta precatória ou arbitral.

Art. 267. O juiz recusará cumprimento a carta precatória ou arbitral, devolvendo-a “com decisão motivada quando:

I – a carta não estiver revestida dos requisitos legais;

II – faltar ao juiz competência em razão da matéria ou da hierarquia;

III – o juiz tiver dúvida acerca de sua autenticidade.

Parágrafo único. No caso de incompetência em razão da matéria ou da hierarquia, o juiz deprecado, conforme o ato a ser praticado, poderá remeter a carta ao juiz ou ao tribunal competente.”

Comentários art 268

Por fim, mas não menos importante, o artigo 268 busca tratar do prazo final para que a carta, após ser cumprida, seja devolvida ao juízo de origem.

“Art. 268. Cumprida a carta, será devolvida ao juízo de origem no prazo de 10 (dez) dias, independentemente de traslado, pagas as custas pela parte.”

Com isso, finalmente podemos afirmar que você já está por dentro de tudo que se refere diretamente ao art 261 cpc, mais precisamente, do artigo 260 até o 268. Portanto, com certeza as cartas de ordem, precatórias e rogatórias já não devem lhe ocasionar quaisquer dúvidas ou questionamentos.

Nosso Compromisso com o seu sucesso

Pessoas

Conectamos advogados, simplificamos processos e impulsionamos a transformação digital

Processos

Com metodologia ágil, simplificamos a gestão e fortalecemos a justiça, gerando resultados exponenciais

Tecnologia

Automatizamos tarefas, impulsionamos a eficiência e oferecemos soluções inovadoras

pri vini easyjur

Planos Easyjur

O plano perfeito para você!

Solução completa para tornar sua Advocacia mais ágil e lucrativa

Growth Plus

Para grandes escritórios avançado
pague no cartão de crédito e ganhe até R$1.500 em cashback

R$

2799

/mês
200GB Docs em Nuvem
4.000 Processos Monitorados
05 Advogados Intimações
30 Usuários Inclusos
200.000 Tokens Juris.ai
20.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO GROWTH +
Suporte VIP
Editor Legal Design
Relatórios Avançados
Acesso para clientes ilimitado
Peticionamento Automático (em breve)
SmartDocs.ai Copilot (em breve)

Growth

Para médios escritórios em crescimento
pague no cartão de crédito e ganhe até R$1.000 em cashback

R$

1699

/mês
80GB Docs em Nuvem
2000 Processos Monitorados
03 Advogados Intimações
15 Usuários Inclusos
100.000 Tokens Juris.ai
8.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO STANDARD +
Legal Analytics Tool
Cálculos Monetários
Cobranças Personalizadas
Automação de Faturamento
Campos Personalizados
500 Acessos para clientes
EasyJur.ai Copilot (em breve)

Standard

Para médios escritórios
pague no cartão de crédito e ganhe até R$700 em cashback

R$

599

/mês
40GB Docs em Nuvem
800 Processos Monitorados
02 Advogados Intimações
10 Usuários Inclusos
50.000 Tokens Juris.ai
5.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO PREMIUM +
Workflow de Tarefas Ágil
Gamificação de Atividades
TimeSheet Dinâmico
Controle Orçamentário
Gestão Estratégica
200 Acessos para clientes
Assinatura Digital (em breve)

Premium

Pequenos Escritórios
pague no cartão de crédito e ganhe até R$500 em cashback

R$

389

/mês
30GB Docs em Nuvem
300 Processos Monitorados
01 Advogado Intimações
05 Usuários Inclusos
20.000 Tokens Juris.ai
3.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO START +
Gestão Financeira
Automação de Documentos
Demandas Consultivas
LCRM e Gerador de Propostas
100 Acessos para clientes
*Website Integrado Legal CRM
Captação de clientes com Google Ads (em breve)

Start

Advogados solo
pague no cartão de crédito e ganhe até R$300 em cashback

R$

229

/mês
5GB Docs em Nuvem
100 processos monitorados
01 Advogado Intimações
02 Usuários Inclusos
5.000 Tokens Juris.ai
1.000 Tokens Análise de Prazos com IA
Jurisprudências Integradas
Processos Ilimitados
Dashboard
Juris.ai
Agenda
Pessoas
Processos e Casos
Movimentações
Categorias
Materiais Gratuitos