logo mes do consumidor

30% OFF nos planos

+ 20% OFF na implantação estratégica

Para aproveitar o ÚNICO SOFTWARE JURÍDICO com IA de verdade

Blog

2 (14)

Sentença visual law: como criar seu primeiro documento

Por Easyjur

Por Easyjur

Pode-se dizer que, durante os últimos anos, diversas tendências começaram a aparecer e dominar o mercado jurídico. Todos que participam ativamente deste mercado sabem que as alternativas são bem mais limitadas do que quando comparamos com os demais mercados, principalmente quando nos referimos ao marketing e divulgação dos serviços prestados. Felizmente, as novas tendências que apareceram tendem a entregar possibilidades bem interessantes, como por exemplo, a própria sentença visual law.

Para adiantar, vale dizer que o Visual Law faz parte do próprio Legal Design, uma expressão que cresce mais a cada dia que passa dentro do mundo jurídico. Contudo, não podemos negar o fato de que, mesmo sendo uma expressão que se tornou bastante popular durante os últimos anos, a mesma ainda gera inúmeras dúvidas e questionamentos, principalmente nos estudantes de direito e nos novos advogados, os quais ainda não apresentam grandes experiências neste vasto mundo.

Para dar um fim a este problema de uma vez por todas, e assim, trazer informações seguras e confiáveis sobre a sentença visual law, nós da equipe EasyJur resolvemos trazer este artigo. Sendo assim, se você possui interesse por este assunto, recomendamos que se atente neste artigo até o fim, pois lhe deixaremos preparado para realizar o seu primeiro documento utilizando o Visual Law!

Mas afinal, o que é visual law?

Mesmo que ambos se refiram a ferramentas diferentes, a grande maioria dos profissionais e especialistas gostam de falar de que o Visual Law faz parte do Legal Design, algo que foi citado acima. Contudo, fazendo parte ou não, você sempre deverá lembrar que ambas expressões representam distintas ferramentas.

O desenvolvimento da tecnologia e da internet possibilitaram com que o mundo se tornasse cada vez mais dinâmico e visual, e por trazer estas características, o Visual Law acabou ganhando grande popularidade dentro do mercado de direito na atualidade. Para aqueles que ainda não o conhecem, o Visual Law se trata de um conjunto de técnicas e estratégias que visam tornar toda a informação jurídica um pouco mais acessível para distintos públicos, trazendo maior clareza para as informações e documentos através de elementos visuais.

Ao utilizar o Visual Law dentro do seu escritório, ou até mesmo dentro dos seus serviços autônomos, de certo você conseguirá usufruir de diversos benefícios e vantagens, como por exemplo: comunicação mais eficiente com os seus clientes, queda no tempo e esforço necessários para compreender determinadas informações, maior confiança para seus clientes, entre outros.

22 (12)

Sentença visual law: Essa possibilidade realmente existe?

Vale dizer que o Visual Law pode ser utilizado de distintas formas e com diferentes objetivos, e dentre as milhares de possibilidades, podemos citar a sentença visual law, onde o juiz responsável por determinado processo pode realizar um documento de sentença, o qual apresentará um breve resumo de toda a sentença, algo que entrega inúmeras vantagens e benefícios, não somente para ele mesmo, como também para os participantes daquele processo, principalmente para as partes que não entendem muitos conceitos ligados ao mundo jurídico.

Muitos advogados também já adotaram a sentença visual law, realizando documentos que mostram e explicam as possíveis opções e os objetivos de um determinado processo para seus clientes. Ou seja, as possibilidades são quase que infinitas.

Como fazer sentença visual law: Passo a Passo

Existem 3 passos fundamentais para que você possa realizar a sua primeira sentença visual law com grande sucesso e segurança, sendo eles:

Foque no conteúdo

Primeiramente, é de extrema importância que você foque no conteúdo, ou seja, busque elaborar um texto que apresenta uma mensagem totalmente clara, deixando para trás a linguagem jurídica, também conhecida como juridiquês, o qual tornaria o texto menos compreensível para seus clientes.

Determine o público do documento

Logo em seguida será fundamental determinar o público alvo do seu documento. Todos os documentos que utilizam do Visual Law devem ser feitos pensando na experiência que os leitores e usuários possuem, para que assim, o documento realmente possa atender às suas necessidades, percepções e desejos.

Determine os objetivos do documento

Por fim, mas não menos importante, ao realizar a sua primeira sentença visual law, sempre tenha em mente qual é o objetivo do documento, para assim, conseguir produzir um texto mais centrado e conciso.

Conheça a legislação por trás do Visual Law e Legal Design

Com isso, finalmente podemos afirmar que você já conhece a definição e objetivos por trás do Legal Design, e consequentemente, também já conseguiu compreender qual a verdadeira função de uma sentença visual law, sabendo do passo a passo necessário para começar a realizar tais documentos com maior segurança e eficiência, algo que com certeza irá lhe ajudar a conquistar e agradar mais clientes como advogado.

Contudo, mesmo sabendo de todas as informações citadas até o exato momento, ainda é de suma importância que você conheça um pouco sobre a legislação da OAB, a qual cita diretamente o marketing jurídico e a divulgação de serviços relacionados aos advogados, algo que é extremamente limitado, como citado mais acima. Esta legislação está diretamente ligada à importância do Visual Law e até mesmo do Legal Design, já que a partir dos mesmos, os profissionais de direito conseguem “divulgar” o seu trabalho e chamar a atenção de novos clientes sem passar por cima de nenhuma norma ou regra da OAB.

222 (16)

Sendo assim, nossa própria equipe decidiu ir em busca de tal legislação, e assim, separamos a mesma logo abaixo, porém, como nosso objetivo é trazer um artigo curto e direito, trouxemos apenas o início do Código de Ética da OAB, sendo fundamental que você mesmo vá em busca do restante da legislação após finalizar este artigo.

“Art. 1º O exercício da advocacia exige conduta compatível com os preceitos deste

Código, do Estatuto, do Regulamento Geral, dos Provimentos e com os demais

princípios da moral individual, social e profissional.

 

Art. 2º O advogado, indispensável à administração da Justiça, é defensor do Estado

democrático de direito, da cidadania, da moralidade pública, da Justiça e da paz social,

subordinando a atividade do seu Ministério Privado à elevada função pública que

exerce.

 

Parágrafo único. São deveres do advogado:

 

I – preservar, em sua conduta, a honra, a nobreza e a dignidade da profissão, zelando

pelo seu caráter de essencialidade e indispensabilidade;

 

II – atuar com destemor, independência, honestidade, decoro, veracidade, lealdade, dignidade e boa-fé;

 

III – velar por sua reputação pessoal e profissional;

 

IV – empenhar-se, permanentemente, em seu aperfeiçoamento pessoal e profissional;

 

V – contribuir para o aprimoramento das instituições, do Direito e das leis;

 

Publicado no Diário da Justiça, Seção I, do dia 01.03.95, pp. 4.000/4004.

 

VI – estimular a conciliação entre os litigantes, prevenindo, sempre que possível, a

instauração de litígios;

 

VII – aconselhar o cliente a não ingressar em aventura judicial;

 

VIII – abster-se de:

 

  1. a) utilizar de influência indevida, em seu benefício ou do cliente;

 

  1. b) patrocinar interesses ligados a outras atividades estranhas à advocacia, em que

também atue;

 

  1. c) vincular o seu nome a empreendimentos de cunho manifestamente duvidoso;

 

  1. d) emprestar concurso aos que atentem contra a ética, a moral, a honestidade e a

dignidade da pessoa humana;

 

  1. e) entender-se diretamente com a parte adversa que tenha patrono constituído, sem o

assentimento deste.

 

IX – pugnar pela solução dos problemas da cidadania e pela efetivação dos seus direitos

individuais, coletivos e difusos, no âmbito da comunidade.

 

Art. 3º O advogado deve ter consciência de que o Direito é um meio de mitigar as

desigualdades para o encontro de soluções justas e que a lei é um instrumento para

garantir a igualdade de todos.

 

Art. 4º O advogado vinculado ao cliente ou constituinte, mediante relação

empregatícia ou por contrato de prestação permanente de serviços, integrante de

departamento jurídico, ou órgão de assessoria jurídica, público ou privado, deve zelar

pela sua liberdade e independência.

 

Parágrafo único. É legítima a recusa, pelo advogado, do patrocínio de pretensão

concernente a lei ou direito que também lhe seja aplicável, ou contrarie expressa

orientação sua, manifestada anteriormente.

 

Art. 5º O exercício da advocacia é incompatível com qualquer procedimento de

mercantilização.

 

Art. 6º É defeso ao advogado expor os fatos em Juízo falseando deliberadamente a

verdade ou estribando-se na má-fé.

 

Art. 7º É vedado o oferecimento de serviços profissionais que impliquem, direta ou

indiretamente, inculcação ou captação de clientela. 

 

Art. 8º O advogado deve informar o cliente, de forma clara e inequívoca, quanto a

eventuais riscos da sua pretensão, e das consequências que poderão advir da demanda.

 

Art. 9º A conclusão ou desistência da causa, com ou sem a extinção do mandato,

obriga o advogado à devolução de bens, valores e documentos recebidos no exercício do

mandato, e à pormenorizada prestação de contas, não excluindo outras prestações

solicitadas, pelo cliente, a qualquer momento.

 

Art. 10. Concluída a causa ou arquivado o processo, presumem-se o cumprimento e a

cessação do mandato.

 

Art. 11. O advogado não deve aceitar procuração de quem já tenha patrono

constituído, sem prévio conhecimento deste, salvo por motivo justo ou para adoção de

medidas judiciais urgentes e inadiáveis.

 

Art. 12. O advogado não deve deixar ao abandono ou ao desamparo os feitos, sem

motivo justo e comprovada ciência do constituinte.

 

Art. 13. A renúncia ao patrocínio implica omissão do motivo e a continuidade da

responsabilidade profissional do advogado ou escritório de advocacia, durante o prazo

estabelecido em lei; não exclui, todavia, a responsabilidade pelos danos causados dolosa ou culposamente aos clientes ou a terceiros…”

Após descobrir e ler uma breve parte desta legislação, finalmente podemos afirmar de uma vez por todas que você já está por dentro de todas as principais informações que são necessárias para compreender o que é uma sentença visual law, quais são os seus objetivos, sua importância e até mesmo como realizá-lá.

2222 (12)

 

 

Nosso Compromisso

com o seu sucesso

Pessoas

Conectamos advogados, simplificamos processos e impulsionamos a transformação digital

Processos

Com metodologia ágil, simplificamos a gestão e fortalecemos a justiça, gerando resultados exponenciais

Tecnologia

Automatizamos tarefas, impulsionamos a eficiência e oferecemos soluções inovadoras

pri vini easyjur

Planos Easyjur

O plano perfeito para você!

Solução completa para tornar sua Advocacia mais ágil e lucrativa

Growth Plus

Ideal para grandes escritórios

R$

2499

/mês
checkmark m
200GB Docs em Nuvem
checkmark m
2.500 Pushs de Andamentos
checkmark m
05 Advogados Intimações
checkmark m
20 Usuários Inclusos
checkmark m
TUDO DO GROWTH
checkmark m
Editor Legal Design
checkmark m
Website Integrado Legal CRM
checkmark m
Relatórios Avançados
checkmark m
Acesso para clientes ilimitado
checkmark m
Jurisprudências Integradas
checkmark m
Smart Docs (breve)*
checkmark m
Assinatura Digital (breve)*
checkmark m
Peticionamento (breve)*

Growth

Ideal para grandes escritórios

R$

1499

/mês
checkmark m
80GB Docs em Nuvem
checkmark m
800 Pushs de Andamentos
checkmark m
03 Advogados Intimações
checkmark m
10 Usuários Inclusos
checkmark m
TUDO DO ENTERPRISE +
checkmark m
IVO – Inteligência Artificial
checkmark m
Legal Analytics Tool
checkmark m
Cálculos Monetários
checkmark m
Regras Cobrança Personalizadas
checkmark m
Automação Faturamento
checkmark m
Campos Personalizados
checkmark m
Acesso para 300 clientes
checkmark m
Jurisprudências Integradas

Enterprise

Ideal para escritórios de médio porte

R$

589

/mês
checkmark m
40GB Docs em Nuvem
checkmark m
300 Push de Andamentos
checkmark m
02 Advogados Intimações
checkmark m
05 Usuários Inclusos
checkmark m
TUDO DO PREMIUM +
checkmark m
Workflow de Tarefas Ágil
checkmark m
Gamificação de Atividades
checkmark m
TimeSheet Dinâmico
checkmark m
Controle Orçamentário
checkmark m
Gestão Estratégica
checkmark m
** Emissão de Boletos e NFs
checkmark m
Área de acesso para 200 Clientes
checkmark m
Jurisprudências Integradas

Premium

Ideal para escritórios de pequeno porte

R$

279

/mês
checkmark m
30GB Docs em Nuvem
checkmark m
200 Push de Andamentos
checkmark m
01 Advogado Intimações
checkmark m
02 Usuários Inclusos
checkmark m
** Telefonia Voip EasyCall
checkmark m
Gestão de Processos Ilimitados
checkmark m
Gestão Financeira
checkmark m
Automação de Documentos
checkmark m
Agenda de Prazos
checkmark m
Demandas Consultivas
checkmark m
Legal CRM
checkmark m
Contratos e Relatórios
checkmark m
Área de Acesso para 100 Clientes
checkmark m
Jurisprudências Integradas

Start

Ideal para advogados solo

R$

79

/mês
checkmark m
5GB Docs em Nuvem
checkmark m
50 Push de Andamentos
checkmark m
01 Advogado Intimações
checkmark m
01 Usuário Incluso
checkmark m
Cadastro de Clientes
checkmark m
Gestão de Processos
checkmark m
Agenda de Prazos
checkmark m
Cadastro de até 200 Processos
Sentença visual law: como criar seu primeiro documento
2 (14)

24/07/2023

Sumário

Automatize suas demandas jurídicas para seu escritório lucrar 10x mais
teste de 14 dias
Automatize suas demandas jurídicas para seu escritório lucrar 10x mais
teste de 14 dias
Você também pode gostar
plugins premium WordPress
Categorias
Materiais Gratuitos