logo easyjur azul

Blog

6 (2)

Quando o inventário cumulativo é usado?

Picture of Por Danielle Fontoura

Por Danielle Fontoura

Menu do Conteúdo

A cada dia que passa, mais e mais pessoas falam e comentam sobre o processo de inventário, já que o mesmo se trata de um processo obrigatório que deve ser realizado em meio ao procedimento de herança, que ocorre logo após o falecimento do indivíduo, tendo como objetivo principal a transferência de seu patrimônio (valores, dívidas, bens e direitos) para os seus herdeiros legais. Em meio a isso, também podemos dizer que o inventário cumulativo acabou ganhando uma maior popularidade nos últimos tempos.

Infelizmente, mesmo que o processo de inventário tenha se tornado o foco de conversas e discussões dentro do Brasil, não podemos negar o fato de que o mesmo também é a origem de muitas dúvidas. Contudo, a maior parte destas dúvidas tendem a permanecer sem respostas, já que ainda existem poucas fontes confiáveis que entregam informações relacionadas ao processo de inventário de maneira mais simples.

Tendo em vista este problema, e com o principal objetivo de auxiliar todos os brasileiros a compreenderem o processo de inventário e a definição de inventário cumulativo de uma vez por todas, nós da equipe EasyJur resolvemos desenvolver e disponibilizar o artigo abaixo, no qual separamos todas as principais informações que conseguem explicar o que é e como funciona o inventário cumulativo. Sendo assim, recomendamos que você se atente ao máximo.

Mas afinal, o que é inventário cumulativo?

De primeiro momento, é primordial explicarmos a definição do inventário cumulativo, para que assim, possamos garantir que você possui uma base ampla e sólida de informações em relação ao assunto, a qual possibilitará com que você se aprofunde no assunto sem gerar maiores dúvidas ou questionamentos, algo que complicaria ainda mais a sua situação atual.

Sendo assim, podemos dizer que sempre que um dos autores da herança faleceu, e em meio do curso de inventário que já foi iniciado, outro autor da herança falece, é possível realizar um processo denominado como inventário cumulativo, o qual possui o objetivo de reunir os dois processos em apenas um.

Para aqueles que não o conhecem, o inventário cumulativo se trata de um procedimento que também pode ocorrer quando um dos herdeiros falece durante a pendência do inventário que estava em fase de processamento.

Independente da ocasião que levou o inventário cumulativo a se tornar uma realidade, podemos dizer que este procedimento possui como objetivo principal a economia processual e a potencialização da efetividade do processo em si.

Um grande exemplo que pode lhe auxiliar a compreender o funcionamento deste processo é o seguinte:

Imagine que em determinado momento, um dos cônjuges chega a falecer, porém, não é feita a abertura do processo de inventário. Algum tempo depois, o outro cônjuge acaba falecendo também, e com isso, poderá ser realizado o inventário de ambos, fazendo com que algo que necessitaria de 2 processos distintos possa ser solucionado com apenas 1 processo, recebendo o nome de inventário cumulativo.

666 (1)

Entenda como funciona o ITCMD do inventário cumulativo

Quando nos referimos ao inventário cumulativo, podemos dizer que uma das principais dúvidas que acabam dominando grande parte da população brasileira é em relação ao ITCMD (Imposto sobre transmissão causa mortis e doação), o imposto que deve ser pago pelos herdeiros em meio ao processo de inventário, para assim, poder dar prosseguimento com a herança.

Bom, mesmo que seja realizado o inventário cumulativo, vale dizer que é necessário sim pagar o ITCMD duas vezes, caso contrário, é impossível dar continuidade ao processo de cumulação de inventário em si.

Conheça a legislação que regulamenta o inventário cumulativo

Para finalizar este artigo com chave de ouro, e assim, realmente garantir que você está por dentro de todas as informações necessárias para compreender o funcionamento e definição do inventário cumulativo, resolvemos trazer este tópico, onde separamos uma breve citação do Novo CPC, principal legislação por regulamentar o inventário cumulativo em si.

Vale dizer que, com todos os conhecimentos obtidos acima, é esperado que você não tenha quaisquer problemas para compreender essa legislação, mesmo com a presença da linguagem jurídica, já que você deve ter desenvolvido uma base extremamente forte e ampla sobre o assunto.

“… Art. 659. A partilha amigável, celebrada entre partes capazes, nos termos da lei, será homologada de plano pelo juiz, com observância dos arts. 660 a 663 .

  • 1º O disposto neste artigo aplica-se, também, ao pedido de adjudicação, quando houver herdeiro único.

 

  • 2º Transitada em julgado a sentença de homologação de partilha ou de adjudicação, será lavrado o formal de partilha ou elaborada a carta de adjudicação e, em seguida, serão expedidos os alvarás referentes aos bens e às rendas por ele abrangidos, intimando-se o fisco para lançamento administrativo do imposto de transmissão e de outros tributos porventura incidentes, conforme dispuser a legislação tributária, nos termos do § 2º do art. 662 .

 Art. 660. Na petição de inventário, que se processará na forma de arrolamento sumário, independentemente da lavratura de termos de qualquer espécie, os herdeiros:

 

I – requererão ao juiz a nomeação do inventariante que designarem;

 

II – declararão os títulos dos herdeiros e os bens do espólio, observado o disposto no art. 630 ;

 

III – atribuirão valor aos bens do espólio, para fins de partilha.

 

 Art. 661. Ressalvada a hipótese prevista no parágrafo único do art. 663 , não se procederá à avaliação dos bens do espólio para nenhuma finalidade.

 

 Art. 662. No arrolamento, não serão conhecidas ou apreciadas questões relativas ao lançamento, ao pagamento ou à quitação de taxas judiciárias e de tributos incidentes sobre a transmissão da propriedade dos bens do espólio.

 

  • 1º A taxa judiciária, se devida, será calculada com base no valor atribuído pelos herdeiros, cabendo ao fisco, se apurar em processo administrativo valor diverso do estimado, exigir a eventual diferença pelos meios adequados ao lançamento de créditos tributários em geral.

 

  • 2º O imposto de transmissão será objeto de lançamento administrativo, conforme dispuser a legislação tributária, não ficando as autoridades fazendárias adstritas aos valores dos bens do espólio atribuídos pelos herdeiros.

66 (1)

 Art. 663. A existência de credores do espólio não impedirá a homologação da partilha ou da adjudicação, se forem reservados bens suficientes para o pagamento da dívida.

 

Parágrafo único. A reserva de bens será realizada pelo valor estimado pelas partes, salvo se o credor, regularmente notificado, impugnar a estimativa, caso em que se promoverá a avaliação dos bens a serem reservados.

 

 Art. 664. Quando o valor dos bens do espólio for igual ou inferior a 1.000 (mil) salários-mínimos, o inventário processar-se-á na forma de arrolamento, cabendo ao inventariante nomeado, independentemente de assinatura de termo de compromisso, apresentar, com suas declarações, a atribuição de valor aos bens do espólio e o plano da partilha.

 

  • 1º Se qualquer das partes ou o Ministério Público impugnar a estimativa, o juiz nomeará avaliador, que oferecerá laudo em 10 (dez) dias.

 

  • 2º Apresentado o laudo, o juiz, em audiência que designar, deliberará sobre a partilha, decidindo de plano todas as reclamações e mandando pagar as dívidas não impugnadas.

 

  • 3º Lavrar-se-á de tudo um só termo, assinado pelo juiz, pelo inventariante e pelas partes presentes ou por seus advogados.

 

  • 4º Aplicam-se a essa espécie de arrolamento, no que couber, as disposições do art. 672 , relativamente ao lançamento, ao pagamento e à quitação da taxa judiciária e do imposto sobre a transmissão da propriedade dos bens do espólio.

 

  • 5º Provada a quitação dos tributos relativos aos bens do espólio e às suas rendas, o juiz julgará a partilha.

 

 Art. 665. O inventário processar-se-á também na forma do art. 664 , ainda que haja interessado incapaz, desde que concordem todas as partes e o Ministério Público.

 

 Art. 666. Independerá de inventário ou de arrolamento o pagamento dos valores previstos na Lei nº 6.858, de 24 de novembro de 1980 .

 

 Art. 667. Aplicam-se subsidiariamente a esta Seção as disposições das Seções VII e VIII deste Capítulo.

 

Seção X

Disposições Comuns a Todas as Seções

 

 Art. 668. Cessa a eficácia da tutela provisória prevista nas Seções deste Capítulo:

 

I – se a ação não for proposta em 30 (trinta) dias contados da data em que da decisão foi intimado o impugnante, o herdeiro excluído ou o credor não admitido;

 

II – se o juiz extinguir o processo de inventário com ou sem resolução de mérito.

 

 Art. 669. São sujeitos à sobrepartilha os bens:

 

I – sonegados;

 

II – da herança descobertos após a partilha;

 

III – litigiosos, assim como os de liquidação difícil ou morosa;

 

IV – situados em lugar remoto da sede do juízo onde se processa o inventário.

 

Parágrafo único. Os bens mencionados nos incisos III e IV serão reservados à sobrepartilha sob a guarda e a administração do mesmo ou de diverso inventariante, a consentimento da maioria dos herdeiros.

 

 Art. 670. Na sobrepartilha dos bens, observar-se-á o processo de inventário e de partilha.

 

Parágrafo único. A sobrepartilha correrá nos autos do inventário do autor da herança.

 

 Art. 671. O juiz nomeará curador especial:

 

I – ao ausente, se não o tiver;

 

II – ao incapaz, se concorrer na partilha com o seu representante, desde que exista colisão de interesses.

 

 Art. 672. É lícita a cumulação de inventários para a partilha de heranças de pessoas diversas quando houver:

 

I – identidade de pessoas entre as quais devam ser repartidos os bens;

 

II – heranças deixadas pelos dois cônjuges ou companheiros;

 

III – dependência de uma das partilhas em relação à outra.

 

Parágrafo único. No caso previsto no inciso III, se a dependência for parcial, por haver outros bens, o juiz pode ordenar a tramitação separada, se melhor convier ao interesse das partes ou à celeridade processual.

 

 Art. 673. No caso previsto no art. 672 , inciso II, prevalecerão as primeiras declarações, assim como o laudo de avaliação, salvo se alterado o valor dos bens…”

Com isso, finalmente podemos afirmar que você já está por dentro de todas as principais informações relacionadas ao inventário cumulativo.

6666 (2)

 

 

Nosso Compromisso com o seu sucesso

Pessoas

Conectamos advogados, simplificamos processos e impulsionamos a transformação digital

Processos

Com metodologia ágil, simplificamos a gestão e fortalecemos a justiça, gerando resultados exponenciais

Tecnologia

Automatizamos tarefas, impulsionamos a eficiência e oferecemos soluções inovadoras

pri vini easyjur

Planos Easyjur

O plano perfeito para você!

Solução completa para tornar sua Advocacia mais ágil e lucrativa

Growth Plus

Para grandes escritórios avançado
pague no cartão de crédito e ganhe até R$1.500 em cashback

R$

2799

/mês
200GB Docs em Nuvem
4.000 Processos Monitorados
05 Advogados Intimações
30 Usuários Inclusos
200.000 Tokens Juris.ai
20.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO GROWTH +
Suporte VIP
Editor Legal Design
Relatórios Avançados
Acesso para clientes ilimitado
Peticionamento Automático (em breve)
SmartDocs.ai Copilot (em breve)

Growth

Para médios escritórios em crescimento
pague no cartão de crédito e ganhe até R$1.000 em cashback

R$

1699

/mês
80GB Docs em Nuvem
2000 Processos Monitorados
03 Advogados Intimações
15 Usuários Inclusos
100.000 Tokens Juris.ai
8.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO STANDARD +
Legal Analytics Tool
Cálculos Monetários
Cobranças Personalizadas
Automação de Faturamento
Campos Personalizados
500 Acessos para clientes
EasyJur.ai Copilot (em breve)

Standard

Para médios escritórios
pague no cartão de crédito e ganhe até R$700 em cashback

R$

599

/mês
40GB Docs em Nuvem
800 Processos Monitorados
02 Advogados Intimações
10 Usuários Inclusos
50.000 Tokens Juris.ai
5.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO PREMIUM +
Workflow de Tarefas Ágil
Gamificação de Atividades
TimeSheet Dinâmico
Controle Orçamentário
Gestão Estratégica
200 Acessos para clientes
Assinatura Digital (em breve)

Premium

Pequenos Escritórios
pague no cartão de crédito e ganhe até R$500 em cashback

R$

389

/mês
30GB Docs em Nuvem
300 Processos Monitorados
01 Advogado Intimações
05 Usuários Inclusos
20.000 Tokens Juris.ai
3.000 Tokens Análise de Prazos e Elaboração de Propostas com IA
Conta Digital Grátis
TUDO DO START +
Gestão Financeira
Automação de Documentos
Demandas Consultivas
LCRM e Gerador de Propostas
100 Acessos para clientes
*Website Integrado Legal CRM
Captação de clientes com Google Ads (em breve)

Start

Advogados solo
pague no cartão de crédito e ganhe até R$300 em cashback

R$

129

/mês
5GB Docs em Nuvem
100 processos monitorados
01 Advogado Intimações
02 Usuários Inclusos
5.000 Tokens Juris.ai
1.000 Tokens Análise de Prazos com IA
Jurisprudências Integradas
Processos Ilimitados
Dashboard
Juris.ai
Agenda
Pessoas
Processos e Casos
Movimentações
Categorias
Materiais Gratuitos