InícioAcademia JurídicaPosicionamento estratégico dos escritórios de advocacia nas redes sociais

Posicionamento estratégico dos escritórios de advocacia nas redes sociais

- Software Jurídico EasyJur -spot_img

Na atual conjuntura, pode soar muito repetitivo ressaltar a essencialidade de propagação dos serviços de uma empresa através das redes sociais. Isto em qualquer área. E a lógica disposta na famosa frase “quem não é visto não é lembrado” se aplica perfeitamente ao caso.

Em um mercado altamente concorrido, no qual a disputa pelo cliente se mostra a cada dia mais acirrada, um bom planejamento e uma boa divulgação para alcançar tais clientes são fatores essenciais, pra não dizer ser o básico.

Mas como proceder com a divulgação dos serviços atuando em uma área com tantas restrições como a advocacia? Essa é uma pergunta que, a cada ano que passa e, conforme a importância das redes sociais vai se intensificando, abre brecha para novas possibilidades e interpretações.

Nos últimos meses, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil aprovou dois artigos que possibilitam melhor divulgação dos serviços advocatícios por intermédio das redes sociais.

Trata-se de um importante passo para um regramento que se mostra totalmente defasado, tendo sofrido poucas alterações desde o ano 2000, período em que tal provimento começou a valer de fato.

Para a maciça maioria dos profissionais atuantes, o Código de Ética acaba por tolher de modo demasiado e desnecessário àqueles que se encontram sob sua égide, impedindo os advogados de se posicionarem, de serem vistos e, de certa forma, fazendo com que muitas pessoas acabem por deixar de pleitear seus direitos em função da insuficiência de informações nas redes sociais.

Mas retornando ao assunto previamente abordado: quais foram as mudanças aprovadas pelo Conselho Federal da OAB? Com o advento, há atualmente a possibilidade de realização do marketing jurídico, desde que este seja feito de modo compatível com os preceitos éticos, respeitando-se os limites impostos pelo Estatuto da Advocacia, do Regulamento Geral, do Código de Ética e Disciplina, bem como do Provimento 94 do ano de 2000.

Seguidamente ao artigo primeiro, existem algumas limitações previstas em parágrafos e também no artigo seguinte, que ostenta outros oito incisos.

As mudanças propostas são modestas, mas se apresentam como um importante passo para que advogados alcancem maior visibilidade através de um mecanismo tão útil, eficiente e que se mostra totalmente presente no cotidiano da maior parte da população brasileira.

Passando tanto tempo nas redes sociais, são nelas que muitas pessoas avaliam as inúmeras possibilidades de contratação de um serviço antes de firmar sua respectiva assinatura. E isso não é diferente quando se trata de procurar um representante processual.

Já antes do advento acima, tem-se visto que muitos profissionais da área vinham se utilizando das principais redes sociais, como Instagram, TikTok, Twitter, WhatsApp, Telegram e Facebook para propagar suas credenciais. Porém, com as limitações impostas pelos regramentos em comento, o que mais se via eram vídeos informativos sobre direitos e deveres dos cidadãos.

O que muitos advogados querem é ir além e se sentirem livres para divulgar preços, tabelamentos, de um modo que lhe permita um anúncio mais direto para os seus potenciais clientes.

Sem entrar neste mérito e, enquanto tudo isso ainda se encontra meramente no plano das ideias, pode-se dizer que inúmeras são as possibilidades de uma boa divulgação nas redes sociais, bastando tão somente fazer uso da criatividade.

Obviamente não é preciso ceder às famosas dancinhas que em alguns casos poderiam mais prejudicar do que beneficiar a imagem de seriedade que advogados e advogadas infelizmente ainda precisam transparecer. No entanto, existem boas possibilidades de promoção dos serviços que são suficientes para demonstrar competência e credibilidade.

Mas quais seriam essas hipóteses?

Em linhas bastante específicas, utilize por base os vídeos curtos de até 3 minutos permitidos no TikTok. Em uma rede social tão engajada e em constante crescimento, um advogado poderia criar vídeos respondendo perguntas de seus seguidores que tenham pertinência e contemporaneidade. Desta forma e com uma demonstração de clareza e segurança na fala, seria possível alcançar um elevado número de usuários da plataforma que, através de uma fala convincente, propagariam seu vídeo para mais e mais pessoas, até que uma rede de potenciais clientes seria gerada.

Do mesmo modo ocorre no Instagram. Em um sinal de concorrência com a rede social acima, a plataforma decidiu por criar o mecanismo chamado “Reels”, onde o usuário pode criar vídeos de até um minuto de duração, que também permitiriam a criação de conteúdos relevantes para àqueles que estão à procura de um auxílio jurídico.

Quanto ao mais, os profissionais também podem se valer de postagens em formato de imagem no perfil principal, de vídeos mais longos através do IGTV e, claro, de uma aproximação maior com sua clientela com a elaboração de enquetes, criação de caixa de perguntas e de outros possíveis mecanismos disponíveis nos stories.

Como se não bastasse, Facebook, Instagram e TikTok também permitem a criação de posts patrocinados, entregando suas publicações para pessoas que não lhe seguem, mas que por vezes já se mostraram interessadas em serviços correlatos, tudo isso fruto de um algoritmo altamente eficaz utilizado pelas plataformas supracitadas.

E nem é preciso dizer muito sobre a importância da criação de publicações patrocinadas por parte de escritórios de advocacia que desejam propagar seus serviços.

Repete-se: a legislação ainda impõe inúmeras barreiras que dificultam a veiculação de uma propaganda altamente eficaz, contudo, utilizando-se de criatividade e inteligência é possível alçar bons voos com as mínimas brechas que o ordenamento possibilita.

Como proceder corretamente e estrategicamente nas mídias sociais?

Pois bem. Além do básico já explanado, o que toda e qualquer rede social exige de seus influenciadores ou de empresas que nela veiculam suas postagens é constância.

As principais plataformas de relações pessoais praticamente exigem de seus usuários postagens diárias e regulares para que estas possam ser melhor veiculadas, tanto para os seguidores, quanto para os não seguidores que eventualmente podem se interessar pelos assuntos tratados em suas publicações.

E não é qualquer tipo de postagem que Instagram, TikTok, Facebook e as demais redes procuram, sendo certo que seus fundadores dão preferência à conteúdos relevantes, com boa qualidade, dinâmicos e que geram bom engajamento logo nos primeiros instantes.

Assim sendo, trate de criar publicações que chamem a atenção de seus espectadores, que lhes instiguem a conferi-las do início ao final e que, por fim, façam com que tais usuários queiram compartilhar as informações nelas contidas com seu círculo de amigos. Seguindo essas regras básicas, você já dará um importante passo para o tão almejado engajamento.

Outro requisito crucial é escolher um bom horário para a publicação das postagens. Para tanto, a maior parte das plataformas fornece aos seus usuários os dados com os horários em que as postagens alcançam a maior quantidade de pessoas, permitindo um melhor controle e planejamento para os posts futuros.

Ponto fundamental também é responder seus seguidores sempre que surgir um eventual questionamento, seja por mensagens diretas, seja replicando as publicações. Uma resposta educada e concisa pode ser o primeiro passo para uma futura relação contratual.

Por último, porém, não menos importante, é essencial que você torne seu perfil mais personalizado, isto em qualquer rede social que seja. E quando se diz personalizado, significa mostrar a cara e, antes de tudo, deixar a página com a sua cara.

Quase ninguém curte perfis superficiais, onde seu administrador nunca ou raramente aparece e suas publicações são cem por cento relacionados a serviços, preços e produtos.

É fundamental quebrar a barreira entre fornecedor e cliente, conversar e se aproximar de seus seguidores e, de vez em quando, até tratar de assuntos que não estejam totalmente ligados à temática do perfil. Tudo isso mostra que seus seguidores estão lidando com uma pessoa e não com um robô, de forma que, por consequência, haverá um importante estreitamento entre ambas as partes.

Concluindo, é totalmente permitido dizer que a divulgação dos serviços, de quaisquer áreas que sejam, é um fator fundamental. Dizer que a promoção destes mesmos serviços nas redes sociais é essencial, idem.

Portanto, crie, planeje, programe-se, divulgue e espere. No tempo certo, você já estará estrategicamente posicionado nas redes sociais e, por conseguinte, seus negócios terão uma importante e significativa alavancagem. 

Confira mais estratégias de Marketing Jurídico neste E-book Gratuito

Caso você tenha gostado das ideias deste artigo e queira levar o software jurídico mais completo do Brasil para o seu escritório, faça um teste grátis da nossa plataforma ou, melhor ainda, entre em contato com a nossa equipe para descobrir como podemos ajudar no seu processo de crescimento.

Compartilhe este conteúdo com mais colegas, assim a advocacia se fortalece e criamos juntos um ambiente jurídico mais eficiente e com soluções mais criativas.

- Software Jurídico EasyJur -spot_img

Mais Vitos

- Software Jurídico EasyJur -spot_img

Posts Relacionados

Posts Relacionados