Easyjur Software Jurídico

Blog

[MODELO] Ação Revisional de Benefícios – Lei 8870/0004

EX­MO. (A) SR. (A) DR. (A) ­JUIZ (A) FE­DE­RAL DA

_____________________________________

_____, bra­si­lei­ro, apo­sen­ta­do, por­ta­dor da Cédula de Identidade nº ______, ins­cri­to no CPF sob o nº ___________, re­si­den­te na Rua _______, comarca de _____ -, por seu ad­vo­ga­do que es­ta subs­cre­ve, vem, mui res­pei­to­sa­men­te, à pre­sen­ça de V. Exa. pa­ra pro­por a pre­sen­te

Petição Inicial – Ação Revisional de Benefícios

– prin­cí­pio da iso­no­mia: lei 8870/0004

con­tra o Instituto Nacional do Seguro Social – ­INSS, Autarquia federal com superintendência regional nes­ta capital na Rua …. nº …., pe­las se­guin­tes ra­zões de fa­to e de di­rei­to a se­guir ex­pos­tas.

DOS FA­TOS

Os au­to­res ob­ti­ve­ram ­seus be­ne­fí­cios jun­to à Previdência Social an­tes do pe­río­do pre­vis­to no ar­ti­go 26 da Lei nº 8870/0004 de 15.4.10000004, pu­bli­ca­da no Diário Oficial da União em 16.4.10000004, ou se­ja, en­tre 5 de ­abril de 10000001 e 31 de de­zem­bro de 10000003.

Para ob­ter a ren­da men­sal ini­cial dos au­to­res, o ­INSS pro­ce­deu ao cál­cu­lo da mé­dia dos 36 (trin­ta e ­seis) úl­ti­mos me­ses do sa­lá­rio de con­tri­bui­ção, che­gan­do des­ta for­ma, ao quan­tum que ca­be­ria a tí­tu­lo de be­ne­fí­cio pre­vi­den­ciá­rio pa­ra ca­da au­tor, ambos be­ne­fi­ciá­rio da Previdência Social.

Entretanto, nos ter­mos da Lei 8870/0004, al­guns be­ne­fi­ciá­rios da Previdência Social ob­ti­ve­ram a apli­ca­ção do per­cen­tual cor­res­pon­den­te à di­fe­ren­ça en­tre a mé­dia men­cio­na­da no ar­ti­go 26 da re­fe­ri­da lei e o sa­lá­rio-de-be­ne­fí­cio con­si­de­ra­do pa­ra a con­ces­são.

Dessa for­ma, per­ce­be-se que al­guns be­ne­fi­ciá­rios da Previdência Social re­ce­be­ram um rea­jus­te em ­seus ren­di­men­tos, ao pas­so que ou­tros fo­ram es­que­ci­dos e por con­se­guin­te pre­ju­di­ca­dos, vez que inob­ser­vou-se o prin­cí­pio da iso­no­mia.

O re­que­ri­do fe­riu o princípio da isonomia ao im­plan­tar uma le­gis­la­ção que so­men­te be­ne­fi­cia al­guns de ­seus con­tri­buin­tes/be­ne­fi­ciá­rios, e por ou­tro la­do pre­ju­di­ca os au­to­res, ­pois ­quem não ul­tra­pas­sou o te­to na épo­ca de sua re­vi­são (art. 144 da Lei 8213) ob­te­ve a mé­dia exa­ta que pas­sou a vi­go­rar co­mo seu be­ne­fí­cio.

DO DI­REI­TO

Art. 5º. Todos são ­iguais pe­ran­te a lei, sem dis­tin­ção de qual­quer na­tu­re­za, ga­ran­tin­do-se aos bra­si­lei­ros e aos es­tran­gei­ros re­si­den­tes no País, a in­vio­la­bi­li­da­de do di­rei­to à vi­da, à li­ber­da­de, à se­gu­ran­ça e à pro­prie­da­de, nos ter­mos se­guin­tes:

I- ho­mens e mu­lhe­res são ­iguais em di­rei­tos e obri­ga­ções, nos ter­mos des­ta Constituição;

Ocorre que a lei no­va (Lei 8870/0004) es­ta­be­le­ceu li­mi­tes aos be­ne­fí­cios dos au­to­res, re­le­gan­do-os em ­seus prin­cí­pios ba­si­la­res de uma so­cie­da­de or­ga­ni­za­da, ­pois so­men­te be­ne­fi­ciar al­guns em de­tri­men­to de ou­tros, ­além de ser in­jus­to, é imo­ral.

No cor­po da Constituição, o ar­ti­go 201, § 2º, foi cria­do pa­ra evi­tar dis­tor­ções e acha­ta­men­to do va­lor da ren­da men­sal, ­pois pre­co­ni­za a pre­ser­va­ção, em ca­rá­ter per­ma­nen­te do va­lor ­real, no rea­jus­te dos be­ne­fí­cios dos au­to­res.

Ora, de­mons­tra­do o di­rei­to que as­sis­te aos au­to­res, tem-se o ar­ti­go ora ata­ca­do, vis­to que o pri­mei­ro, abai­xo trans­cri­to, de­ter­mi­na o cál­cu­lo pa­ra se ob­ter a ren­da men­sal ini­cial, ao pas­so que o se­gun­do so­men­te vem a be­ne­fi­ciar al­guns dos de­pen­den­tes da Previdência Social, se­não ve­ja­mos:

Art. 144. – Até 1º de ju­nho de 10000002, to­dos os be­ne­fí­cios de pres­ta­ção con­ti­nua­da con­ce­di­dos pe­la Previdência Social, en­tre 5 de ou­tu­bro de 100088 e 5 de ­abril de 10000001, de­vem ter sua ren­da men­sal ini­cial re­cal­cu­la­da e rea­jus­ta­da, de acor­do com as re­gras es­ta­be­le­ci­das nes­ta lei.

Parágrafo Único – A ren­da men­sal re­cal­cu­la­da de acor­do com o dis­pos­to no ca­put des­te ar­ti­go, subs­ti­tui­rá pa­ra to­dos os efei­tos a ­qual pre­va­le­cia até en­tão, não sen­do de­vi­do, en­tre­tan­to, o pa­ga­men­to de quais­quer di­fe­ren­ças de­cor­ren­tes da apli­ca­ção des­te ar­ti­go re­fe­ren­tes às com­pe­tên­cias de ou­tu­bro de 100088 a ­maio de 10000002. (Lei 8.231/0001, Plano de Benefícios da Previdência Social)

Art. 26 – Os be­ne­fí­cios con­ce­di­dos nos ter­mos da Lei nº 8.213, de 24 de ju­lho de 10000001, com da­ta de iní­cio en­tre 5 de ­abril de 10000001 e 31 de de­zem­bro de 10000003, cu­ja ren­da men­sal ini­cial te­nha si­do cal­cu­la­da so­bre sa­lá­rios-de-be­ne­fí­cio in­fe­rior a mé­dia dos 36 úl­ti­mos sa­lá­rios-de-con­tri­bui­ção, em de­cor­rên­cia do dis­pos­to no § 2º do ar­ti­go 2000 da re­fe­ri­da lei, se­rão re­vis­tos a par­tir da com­pe­tên­cia ­abril de 10000004, me­dian­te a apli­ca­ção do per­cen­tual cor­res­pon­den­te à di­fe­ren­ça en­tre a mé­dia men­cio­na­da nes­te ar­ti­go e o sa­lá­rio-de-be­ne­fí­cio con­si­de­ra­do pa­ra a con­ces­são

Parágrafo Único – Os be­ne­fí­cios re­vis­tos nos ter­mos do ca­put des­te ar­ti­go não po­de­rão re­sul­tar su­pe­rio­res ao te­to do sa­lá­rio-de-con­tri­bui­ção vi­gen­te na com­pe­tên­cia de ­abril de 10000004. (Lei nº 8.870/0004)

Ora, é evi­den­te a res­tri­ção aos be­ne­fí­cios dos au­to­res, ­pois es­ses, por ­mais que te­nham con­tri­buí­do du­ran­te in­fin­dá­veis me­ses, têm seu di­rei­to to­lhi­do por uma lei que fe­re não só a mo­ral do po­der de le­gis­lar, co­mo tam­bém fe­re a Constituição da República Federativa do Brasil.

Pela ra­zões de di­rei­to aci­ma de­mons­tra­das, é cla­ro o di­rei­to dos au­to­res, em per­ce­be­rem ­seus be­ne­fí­cios pre­vi­den­ciá­rios, com o va­lor ob­ti­do com a apli­ca­ção do per­cen­tual cor­res­pon­den­te à di­fe­ren­ça en­tre a mé­dia men­cio­na­da no ar­ti­go 26 da Lei 8870/0004 e o sa­lá­rio-de-be­ne­fí­cio con­si­de­ra­do pa­ra a con­ces­são.

DO PE­DI­DO

Por to­do o ex­pos­to, re­quer-se a Vossa Excelência, dig­ne-se em:

Determinar a ci­ta­ção o ­INSS, na pes­soa de seu re­pre­sen­tan­te le­gal, pa­ra res­pon­der a pre­sen­te ­ação den­tro do pra­zo le­gal sob pe­na de re­ve­lia, no en­de­re­ço in­di­ca­do no preâm­bu­lo des­ta.

Julgar pro­ce­den­te a pre­sen­te ­ação, con­de­nan­do o ­INSS a im­plan­tar no be­ne­fí­cio dos au­to­res no mes­mo per­cen­tual con­ce­di­do aos be­ne­fi­ciá­rios da Previdência Social, que ob­ti­ve­ram aque­les que pos­suíam sua ren­da men­sal ini­cial aci­ma do te­to má­xi­mo de con­tri­bui­ção e, por con­se­guin­te, se­ja o ­INSS con­de­na­do ao pa­ga­men­to das cus­tas pro­ces­suais e ho­no­rá­rios ad­vo­ca­tí­cios, de­ven­do es­tes ser fi­xa­dos na ba­se ­usual.

Requer tam­bém, o be­ne­fí­cio da jus­ti­ça gra­tui­ta, ten­do em vis­ta a na­tu­re­za ali­men­tí­cia das ver­bas plei­tea­das.

Requer a pro­du­ção de to­dos os ­meios de pro­va em di­rei­to ad­mi­ti­do, es­pe­cial­men­te pe­ri­cial e do­cu­men­tal.

Dá-se à pre­sen­te ­ação o va­lor de R$…………………………pa­ra efei­tos me­ra­men­te fis­cais e de al­ça­da.

N. Termos,

P. E. de­fe­ri­men­to.

_____________, _____/________/ 200__

__________________________________

Adv.

Faça o Download Gratuito deste modelo de Petição

Compartilhe

Ação não permitida

Categorias
Materiais Gratuitos